Relação entre o relevo e a rede de drenagem na análise da condição de equilíbrio no alto rio Piranga (MG)

William Zanete Bertolini, Luis Felipe Soares Cherem

Resumo


A relação entre forma e processos de vertentes e de
canais fluviais constitui elemento central em várias das
principais teorias geomorfológicas, dada a importância do
ajuste entre processos erosivos, nível de base e condições
do meio no qual esse ajuste se estabelece. A declividade de
canais e de vertentes determina a energia potencial
necessária para que o fluxo de água realize o transporte de
material no sistema fluvial. Assim, é de se esperar que em
correspondência com altas declividades no terreno os
gradientes dos canais também sejam elevados, enquanto
vertentes com baixas declividades sejam acompanhadas de
cursos d’água também de baixos gradientes. Este é o
pressuposto tomado por Strahler (1950; 1977) como
condição representante de situação de equilíbrio
geomorfológico, considerada aqui e posta em análise junto
a oito sub-bacias de 3ª ordem no alto rio Piranga em Minas
Gerais. Com o objetivo de verificar a atual condição
morfodinâmica da rede de drenagem em sua relação com o
equilíbrio geomorfológico, foram avaliados três fatores: (i)
a correlação entre declives ou gradientes dos canais e
declives das vertentes nessas sub-bacias; (ii) perfis fluviais
dos canais principais dessas sub-bacias e (iii) os índices de
Hack (índice SL) para os canais principais e seus trechos de
alto, médio e baixo curso. Os resultados demonstram a
falta de correlação dos gradientes fluviais dos canais nessas
sub-bacias com os declives médios das vertentes o que
sugere um desajuste entre os processos de vertente e a
incisão dos canais. Tal situação, corroborada pelos perfis
fluviais e pelos índices de Hack, caracteriza uma situação
de reorganização recente da rede de drenagem na alta bacia
do rio Piranga.

Palavras-chave


quilíbrio geomorfológico, alto rio Piranga, Minas Gerais, declividade

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


GEOgrafias: uma publicação do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia - IGC/UFMG